quarta-feira, 28 de maio de 2014

Despacho no Tribunal de Justiça-SP nega liberdade a mais um investigador que trabalhou na DISE de Sorocaba

O advogado Abner Teixeira de Carvalho apresentou aditamento na inicial de habeas corpus para tentar a liberação do investigador de polícia Marcos Roberto Munhoz de 40 anos, morador em Piedade, que está preso desde o final do ano passado. Em seu argumento, o advogado apontou excesso de prazo na formação da culpa o que configuraria constrangimento ilegal.

O relator da matéria, desembargador Tristão Ribeiro não acolheu o argumento do defensor, e negou liberdade ao investigador Marcos Roberto. O despacho foi proferido (27/05), pela 5ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça-SP. Se Marcos Roberto fosse posto em liberdade, a decisão também beneficiaria o investigador Carlos Moroni Filho que, também está preso desde o final do ano passado. O habeas corpus segue para mesa da 5ª Câmara para julgamento de mérito.

Em 18 de março deste ano, a 5ª Câmara julgou liminar de habeas corpus, e o mesmo desembargador negou liberdade ao investigador Willian Felipe Martins Soares que também foi levado ao presidio da Polícia Civil na Capital Paulista, no final do ano passado, juntamente com os investigadores: Carlos Moroni Filho, Marcos Munhoz e Fernando Fujino, acusados de realizarem escutas telefônicas em desacordo com a lei, e de fornecerem aos criminosos, informações investigativas da Polícia Civil de Sorocaba.

Segundo acusação do GAECO de Sorocaba, as condutas atribuídas aos investigadores teriam sido praticadas quando eles atuaram pela Delegacia de Investigação Sobre Entorpecentes de Sorocaba (DISE). O processo que analisa as acusações em primeira instância tramita na 4ª Vara Criminal de Sorocaba. 

Na terça-feira quando negou liberdade ao investigador Marcos Munhoz, o desembargador Tristão Ribeiro solicitou ao juiz da referida Vara Criminal, em Sorocaba, mais informações sobre o processo, para nortear à convicção dos desembargadores no julgamento do mérito que, pode ser proferido até o final do primeiro semestre deste ano.


Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Polícia de Salto de Pirapora prende dois vendedores de droga

Três jovens estavam sentados numa calçada da Rua Jacinto Nunes Ferreira, no Jardim São Carlos, em Salto de Pirapora.

Uma equipe da Polícia Militar abordou os jovens, e próximo onde eles estavam foi encontrado uma sacola plástica contendo 25 pinos com cocaína e um celular com mensagens relacionadas ao tráfico; um deles é o adolescente G.S.M que tinha R$ 25,00.

 Os tais e as drogas foram apresentados na delegacia daquela cidade. O delegado Milton Andreoli liberou o adolescente ao responsável.

Os maiores Dener Rodrigues de Góes e Renan da Silva Nunes foram indiciados e presos por corrupção de menor (artigo 244-B do Estatuto da Criança e Adolescente), tráfico de droga (artigo 33 da lei 11.343/2006), e associação ao tráfico (artigo 35 da mesma lei). Os dois foram encaminhados para a cadeia transitória de São Roque.  O caso aconteceu no início da madrugada de segunda-feira (26/05).


Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição. 

terça-feira, 20 de maio de 2014

Diarista morre carbonizada em sua casa, na área rural de Piedade

A Polícia Civil de Piedade vai investigar a causa de incêndio que resultou na morte da diarista Gislene Rodrigues Oliveira de 36 anos. Os laudos devem ficar prontos em aproximadamente 30 dias.

Ela morava no Bairro Soares, área rural daquele município, com seu esposo e três filhos, mas tanto o esposo quanto os filhos estavam ausentes, no início da tarde de segunda-feira (19/05) quando um vizinho percebeu que a casa estava em chamas.

 Populares tentaram combater as chamas, no entanto não obtiveram êxito, e imaginavam que naquele momento não havia pessoa no interior da casa, porém, quando o fogo foi combatido viram o corpo da diarista totalmente carbonizado em um dos cômodos.


Fonte: Blog Bom Dia Piedade.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Polícia Civil de Sorocaba aponta 5 indivíduos como autores da morte do policial militar de Sorocaba

A Polícia Civil de Sorocaba diz que está esclarecida a autoria dos tiros que provocaram a morte do polícia militar Sandro Luiz Gomes, e feriram o sargento Antonio Correa Júnior, na madrugada de 27 de abril desse ano, quando os dois ocupavam uma viatura da Polícia Militar e patrulhavam pela Avenida Itavuvu, zona norte de Sorocaba.

Os criminosos que estavam em um Fiesta e um Cross Fox abandonaram os veículos, em seguida deixaram no interior dos automóveis duas garrafas contendo combustível. A investigação policial chegou a dois suspeitos que foram presos no dia 29 de abril, durante a “Operação Alerta Verde” em Capão Bonito. Nesta operação cerca de 20 suspeitos foram presos. 

Segundo a polícia e o ministério público os suspeitos pela autoria do crime são: Juliano Cardoso de Lima, Pedro Paulo Gomes (os dois presos inicialmente na operação em Capão Bonito), e os três irmãos: Emerson dos Santos apelidado de “Neguinho”, Fabiano dos Santos conhecido no rol da criminalidade por “FB” e Fernando dos Santos Barbosa alcunhado por “FM”; os cinco pertencem ao Primeiro Comando da Capital.

Juliano Cardoso teria perdido um fuzil pertencente ao PCC e isso gerou uma dívida com os membros da facção criminosa, a iniciativa de atirar contra a viatura objetivou matar os policiais como pagamento da dívida que Juliano Cardoso teria com os membros da facção. O policial assassinado não estava marcado para morrer, o alvo era um policial militar. O promotor Claudio Bonadia de Souza, o tenente-coronel Ramos do 7ºBPMI de Sorocaba, o delegado Urban Filho, o delegado seccional Marcelo Carriel e o responsável do Deinter-7 de Sorocaba, Júlio Guebert foram unânimes em afirmar que as autoridades deram uma boa resposta esclarecendo o crime. 

Pedro Paulo teria uma chácara em Araçoiaba da Serra, ele teria dado guarida aos criminosos depois do crime. A polícia já pediu a prisão temporária dos criminosos que já foi decretada pela Justiça de Sorocaba. Três já estão presos, faltando prender os irmãos Fabiano dos Santos e Fernando dos Santos. A polícia sorocabana indiciou os suspeitos por homicídio qualificado e homicídio tentado.


Não dá para viver sem notícia.

Delegacia de Salto de Pirapora registra tentativa de homicídio de autoria desconhecida

No início da tarde de quarta-feira (14/05), uma equipe da Polícia Militar foi solicitada para comparecer na Santa Casa de Misericórdia de Salto de Pirapora, para registrar um suposto caso de violência.

Michel Augusto de Pontes foi atendido no pronto-atendimento daquele hospital, apresentando ferimentos na perna direita, e mão direita, ambos provocados por disparos de arma de fogo.

Ao ser indagado pelos policias a respeito do fato, como também a autoria do delito, a vitima não quis informar o fato e nem quem seria o autor ou autores. O caso foi registrado na delegacia da cidade como tentativa de homicídio de autoria desconhecida.


Não dá para viver sem notícia.

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Justiça de Salto de Pirapora manda prender acusado de tentar molestar sexualmente duas mulheres

No início da manhã do dia 06 de abril desse ano, a jovem C.O.I de 18 anos, saiu de sua casa no Jardim Cachoeira, periferia de Salto de Pirapora, em direção ao ponto de ônibus para ir ao seu trabalho.

Quando chegou na Rua Roque Moreira de Souza, próximo a entrada do Jardim Paulistano, um indivíduo lhe acompanhou, abraçou-a por trás anunciando um assalto, e exigiu que ela o acompanhasse para entrar num terreno baldio.

A jovem resistiu para não acompanhá-lo e disse-lhe que pegasse seu celular ou sua carteira, mas o elemento não quis os pertences e, usou da força física puxando-a pelos cabelos para obrigá-la a entrar com ele no terreno, ela reagiu e conseguiu se livrar do criminoso. O homem fugiu.

A moça não seguiu para seu trabalho e, acionou o pai dela, na tarde do dia seguinte (07/04), ela procurou a delegacia e registrou queixa, narrando as características físicas do indivíduo: negro, alto, magro, cabelo raspado, e uma cicatriz na lateral da cabeça.

Os traços físicos despertaram a polícia para suspeitar do ajudante geral, Douglas Maier Barbosa de 28 anos, apelidado de "Trosso", ele foi levado para a delegacia e foi reconhecido pela vitima. O delegado João Lúcio Pretti liberou o suspeito, mas na mesma semana solicitou sua prisão preventiva. 

Na madrugada de sábado (03/05), quase trinta dias depois, outra mulher procurou a Polícia Civil de Salto de Pirapora e registrou nova reclamação (artigo 213 na forma tentada), com características semelhantes e, próximo ao mesmo local (entrada do Jardim Paulistano). 

O pedido de preventiva foi reforçado e a juíza daquela cidade, Tamar Oliva de Souza Totaro assinou o mandado de prisão preventiva. Os agentes já foram diversas vezes no Jardim Paulistano onde mora o suspeito, todavia não conseguiram localizá-lo. Quem souber do seu paradeiro informe à polícia de Salto de Pirapora pelo tel: (15) 3292-1300, ou 3292-1550.


Notícia sem detalhe não é verdadeira, é suposição.    

Rapazes de Salto de Pirapora são presos por tráfico de droga

Uma equipe da Polícia Militar de Salto de Pirapora realizava patrulhamento pelas ruas do Bairro Campo Largo, e ao chegar num ponto da Rua Santa Catarina avistou um automóvel Celta parado naquela via e dois indivíduos ao lado do veículo.

O motorista do Celta saiu com o carro rapidamente do local, e os dois rapazes continuaram na referida rua. A polícia abordou os rapazes e encontrou 17 frasconetes de cocaína com Samuel Vinicius da Silva, e Caio Vinicius Colorado estava com R$ 60,00.

 Para os policiais, foi uma situação típica de tráfico de droga, e conduziram os dois para a delegacia da cidade. O delegado João Lúcio Pretti ratificou o flagrante dos dois, por tráfico de droga (artigo 33 da lei 11.343/2006). Após o registro da ocorrência os rapazes foram encaminhados para a cadeia de São Roque. O fato ocorreu na sexta-feira à noite (09/05).


Não dá para viver sem notícia.